Hemostase (principais factores de coagulação)

Janeiro 17, 2016

 

Definição

A função da hemostase é manter o sangue fluido dentro dos parâmetros normais do sistema circulatório, vários são os sistemas biológicos que actuam para fazer parar o fluxo sanguíneo quando há a rotura dum vaso.

Causas

A interacção dos próprios vasos e factores de coagulação para formar um coágulo hemostático.

Geralmente existem duas formas de hemostase anormal como: hemorragia prolongada e trombose. Nas hemorragias prolongadas deve-se a uma anomalia que envolve vasos sanguíneos, plaquetas, déficit de factores de coagulação ou aumento de actividade do sistema fibrinolitico. A trombose dá-se quando existe um coágulo ou trombo num vaso sanguíneo formado pela coagulação do sangue por falta de proteínas anticoagulantes.

Nas causas é de considerar os mecanismos fundamentais da hemostase como:

Nas causas é de considerar os mecanismos fundamentais da hemostase como:

1- formação de fibrina que envolve, os vasos sanguíneos, plaquetas e factores de coagulação.

2-inibidores como: antitrombina III, sistema fibrinolitico e sistema de Kinin, sendo necessário o equilíbrio entre estes dois sistemas.

Nas desordens vasculares os defeitos são a causa mais comum de hemorragias na prática clínica como: vasos estruturalmente fracos, vasos danificados por inflamação, processos imunes ou anormalidade no tecido perivascular.

Os defeitos vasculares podem ser hereditários e adquiridos e nos adquiridos temos: contusões, púrpura senil, infecções, drogas, escorbuto, administração de corticosteróides e alcoolémia.

 

As hemorragias anormais podem ter as seguintes causas:

  • por trombocitopénia (decréscimo na produção de plaquetas, aumento na velocidade de destruição das plaquetas, aumento de combinação de plaquetas associadas com o alargamento do baço),
  • por trombocitopatia as plaquetas não aderem ao colagénio da parede do vaso danificado, as plaquetas não libertam ADP (adenosina difosfato), as plaquetas não se agregam com o ADP, não produzem fosfolipidos disponíveis para a coagulação.

Anticoagulantes LUPUS

30% de doentes com estes anticoagulantes apresentam complicações trombóticas e resumem-se nos seguintes: anticorpos específicos contra certos fosfolipidos circulantes, inibidores da formação do complexo protrombinase. Estão associados com a trombose venosa e arterial.

Considerações importantes

Função das plaquetas

  1. Nos vasos sanguíneos as plaquetas deslizam junto ao endotélio e quando existe uma lesão vascular, as estruturas danificadas reagem com as plaquetas, para se ligarem, dando-se a adesão plaquetária. Os factores mais importantes deste fenómeno são: a glicoproteína I e as principais substâncias de adesão são as prostaglandinas como: a Prostaciclina (produzida pela paredes arteriais que relaxam as artérias e inibem a agregação plaquetária), Tromboxano é produzido pelas plaquetas e causa a constrição das artérias e agrega as plaquetas.
  2. Principais substâncias de agregação são: o colagénio, trombina, adrenalina, ácido araquidónico (AA), Tromboxano, ADP, factor plaquetário (PF4 proteína), β tromboglobina (β TG proteína)

Obs: a produção e libertação de plaquetas levam cerca de 4 dias. 80% passam para a circulação e 20% passam 24 a 36 horas no baço.

Diagnóstico

Tempo de hemorragia

Está alterado nas seguintes condições patológicas: anormalidade de contracção dos vasos, trombocitopénia, adesão anormal das plaquetas ao colagénio, libertação anormal do ADP, agregação anormal com o ADP, disponibilidade anormal do factor III. Este teste é importante porque dá uma indicação geral dos defeitos hemostáticos em doentes com desordens vasculares ou plaquetárias, a normalidade é de 2-6 minutos.

Teste de tempo de trombina

Mede o tempo que uma incisão estandardizada feita na pele leva a parar de sangrar. (teste é influenciado pelo número de plaquetas, factor circulante de Willebrande e realização da técnica)

Contagem de plaquetas normalidade 150000 a 400000/mm³, podendo observarem os seguintes casos: Hemorragia espontânea 10000 plaquetas/m³ hemorragia não espontânea 40000 plaquetas/mm³.

Testes de Secreening para defeitos de coagulação são:

  • tempo de trombina (TT) indica déficit de fibrinogéneo,
  • tempo de protrombina indica déficit dos factores VIII e X. (TP)
  • Tempo de tromboplastina parcial (PTT) indica déficit dos factores   VIII, IX, XI e XII.

Existem testes especiais como: função plaquetária e inibidor circulante.

Os produtos da degradação de fibrina (PDF) (Fibrinogenólise) compreendem uma gama de produtos originados pela acção da plasmina sobre o fibrinogéneo e é um meio de diagnóstico nas enfermidades vasculares e embolia pulmonar os níveis elevados indicam excessiva actividade da trombina ou plasmina.

O dímero D ( indicador da formação da fibrina fibrinólise) e encontra-se elevada na embolia pulmonar, tumores, coagulação intravascular disseminada.

OBS

Também chamado: Fragmento dímero D; Fragmento de degradação da fibrina
Nome formal: Dímero D
Exames relacionados: Produtos da degradação da fibrina (PDF); Produtos da quebra da fibrina (PQF);

Os testes como factor de risco na trombose são: contagem de plaquetas, presença de agregados plaquetários, alteração do tamanho das plaquetas, determinação do factor plaquetário 4 (PF4 ), a β tromboglobina, (BTG) o Tromboxano A2 (TxB2), determinação do factor activador da plaqueta ( PA-F),

Terapêuticas de exclusiva competência médica 

O objectivo é limitar a extensão do coágulo. Podem os fármacos serem directos e indirectos.

Os directos como a Heparina de baixo peso molecular prolongam o tempo de coagulação e influenciam a produção de trombina e a reacção trombina-fibrinogénio.

Indirectos ou derivados da Cumarina (aumentam o tempo de coagulação e bloqueando a síntese dos factores II; VII; IX e X)

Aspirina inibe a cicloxigenase, impede a síntese do Tromboxano A2 .Dose: 100mg 3 vezes ao dia. Dipiridamol mecanismo de acção é a inibição da fosfodiesterase. Dose: 300 a 400 mg podia.

Ticlopidina e Clopidogrel cujo mecanismo de acção é; a diminuição da fibronectina na superfície e na membrana basal do endotélio. A dose de Ticlopidina é de : 250mg 2 vezes ao dia. Clopidogrel 75 mg dose única.

Triflusal inibe de forma irreversível a actividade da cicloxigenase (prevenção de enfarte no tromboembolismo arterial de baixo risco a dose é de:300 mg e no alto risco: 900mg três cápsulas. Trapidil inibe a formação do tromboxano-sintetase e bloqueia a síntese do Tromboxano A2. A dose é de: na pos-angioplastia das coronárias 200mg um comprimido de 12 em 12 horas.

Obs. veja interpretação de análises clínicas INR anticoagulantes orais

Tempo de protrombina e INR o tempo em segundos é o tempo de PT do doente.

(numa população normal o intervalo é de 11s a 13s) Também é comum converter-se o TP em percentagem da actividade normal (Quick %) usa-se o INR ou razão normalizada internacional.

INR=Razão do TPISI o ISI (índice de sensibilidade internacional) é fornecido pelo fabricante ao laboratório. Exemplo: ISI= 0.02. razão= 1.2 INR=1.00.

(Razão TP do doente /TP população normal) Relativamente a doentes com terapêuticas de anticoagulantes orais, o intervalo terapêutico para trombose profunda, situa-se entre um INR de 2.0 a 3.0, e, para prevenção do enfarte recorrente e implante de válvulas cardíacas mecânicas 2.5 a 3.5.

 Nota  muito importantes : terapêuticas só devem ser aplicadas por especialistas com monitorização 

laboratorial.

 

 

( Referencia Behring diagnósticos)

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Projecto Omega © 2018