Reacções de hipersensibilidade imediata      angioedema 3

  •  Reacções alérgicas graves devido à penicilina ou outro antibiótico.
  •  Soro antitetânico
  •  Qualquer soro preparado com soro de cavalo
  • Vários injectáveis
  • hiper alergias alimentares

Choque alérgico

Fármaco epinefrina (Adrenalina)

Peso                                     dose

30kg                                     0.3ml   

20kg                                     0.2ml

10 kg                                     0.1ml

Crise forte de asma:

adrenalina (epinefrina) ampolas de 1mg/ml doses pediátricas. Antes de dar a injecção anote as pulsações por minuto

OBS: se necessário pode repetir a injecção 30 minutos depois e mais uma terceira dose 30 minutos (não pode exceder a terceira dose) e se pulso aumentar mais trinta pulsações/m  não dê a segunda dose.

Corticoesteroides (para prevenir Choque)

Hidrocortisona

Aplicar15m antes de injectar um preparado de soro de cavalo ou antibiótico

Dose pediátrica 200mg i.m.

Adulto 500 mg i.m

Associar um antihistaminico

Hidrocortisona no Choque anafílático

criança maior de 6 anos 500 mg

Criança de 1-6 anos 200 mg

Com menos de 1 ano 100 mg Associar adrenalina

Adulto 1.000 mg

Dexametasona para prevenção de choque alérgico com preparados de soro de cavalo ou antibiótico

Para adulto e criança uma ampola de 2mg i.m. + hidrocortisona + antihistaminico (fenergan)

Para choque a anafílático

Unidose para adulto ou criança com mais de 6 anos10mg1-6 anos 4mg

Menos de 1 ano 2 mg + hidrocortisona + adrenalina

Os corticoesteroides só devem ser usados em caso de extrema urgência, para combater ou prevenir reacções alérgicas imediatas ou tardias de soros ou antibióticos, que possam conduzir o doente a um choque anafílático.

Choque anafílático

Sintomas

  • 30 m depois da injecção, ou por um período mais tardio podem-se observar os seguintes sintomas:
  • Pele acinzentada ou pálida, húmida e fria
  • Suor frio
  • Pulso rápido e fraco
  • Batimentos do coração rápidos
  • Dificuldade em respirar
  • Lábios encortiçados
  • Perda de consciência
  • Problemas visuais
  • Vómito e tonturas
  • Dor intensa nas costas
  • Dificuldade em urinar
  • Pressão arterial muito baixa
  • Alerta: a automedicação com fármacos injectáveis é altamente perigosa.

IMPOTÊNCIA SEXUAL   A impotência sexual é a impossibilidade por falta de erecção de praticar o coito no homem.   Na mulher a falta de desejo sexual   (frigidez)                                                  Causas  Impotência fisiológica Pode ser…

Teoria Genética

 HIStÓRIA

Os cientistas demonstraram que as características hereditárias estão presentes nos cromossomas do agente reprodutivo. O professor Thomas Hunt Morgan, trabalhando com experiências genéticas (no ano 1930) com moscas da fruta no Instituto Tecnológico da Californio, chegou a conclusão de que os genes que são moléculas individuais de proteínas dos cromossomas, levam e produzem a identificação individual (característica das espécies).

Outros cientistas vieram a confirmar a teoria genética das características hereditárias. Em 1935, o Professor John T. Buchholz da Universidade de Ilinois, consegui fotografar os cromossomas num grão de pólen de milho usando o microscópio electrónico e evidenciando os genes.

Muitos anos antes George Mendel padre austríaco, fez experiências com culturas de ervilhas, num período entre 1856 a 1865, para compreender a razão porque algumas crianças com olhos castanhos nasciam com a mesma cor dos olhos dos pais e outras com olhos azuis.   Mendel escolheu as ervilhas comuns por varias razões, porque numa só família existem pares de diferentes traços hereditários como: plantas altas e baixas, botões vermelhos e brancos, ervilhas verdes e amarelas e grãos enrugados e grãos lisos.   Uma das razões importantes para a escolha desta planta, foi o facto, de ser uma planta de auto reprodução, podendo polinizá-Ias ou fecunda-las artificialmente.   Depois de nove anos de experiências descreveu as suas experiências, com o título de Hibridação das Plantas.

Conclusões

Mendel observou que havia sete pares de características contrastantes umas com as outras. Escolheu plantas com botões vermelhos e outras com botões brancos e outras plantas com outras características parecidas.   Mendel chamou a todas as plantas auto polinizadas que produziam sempre plantas com as mesmas características geração pura ou raça pura. (puras vermelhas, puras brancas, etc.) Todos os rebentos de gerações puras com características opostas e que se pareciam a um dos pais chamou híbridos porque se produziam da união de duas variedades de pais diferentes   O traço característico que aparecia na primeira geração filial (Fa) foi chamado dominante e a característica que não aparecia recessiva. Nestas experiências, as cor vermelhas era dominantes e a branca recessiva. As plantas altas, eram dominantes as baixas recessivas, as ervilhas lisas eram dominante e as enrugadas recessivas.

Características de hibridação de Mendel

Mendel continuou com estas experiências partindo do auto polinização da geração híbrida (Fb). Das várias gerações Fb resultaram 75% de flores vermelhas e 25% de flores brancas tendo demonstrado que a característica recessiva desapareciam temporariamente e não por completo.   Mendel chegou a conclusão que a descendência de dois híbridos deve ser dominante pura, híbrida e remissiva pura.   Simbolicamente os resultados das experiências de Mendel são: RR = geração pura dominante vermelha rr= geração pura recessiva branca Rr= híbrida (mostrando o vermelho dominante e ocultando o branco recessivo)

Tendinite

Definição

A tendinite é uma inflamação do tendão e da sua bainha.

Sintomas

Os sintomas são os mesmos dos processos inflamatórios como:

a)      dor (sensação de peso no membro afectado e dor intensa com os movimentos) e  pode apresentar rigidez muscular;

b)      o calor pode ser interno e não ser visível à apalpação;

c)       a vermelhidão, o rubor pode não aparecer no início;

d)       o inchaço pode aparecer numa fase mais avançada;

e)      o processo pode evoluir para micro lesões, macro lesões e ruptura completa do tendão; Nota: pode fazer-se acompanhar de distensão muscular.

O que é o tendão?

O tendão é uma estrutura branca, brilhante, de grande resistência à carga e que liga o músculo ao osso. Ele transmite a energia e força gerada no músculo até ao osso. O conjunto músculo + tendão + osso, mais a energia gerada no músculo, é que nos permite os movimentos das articulações e dá a possibilidade da locomoção.

Causas

A inflamação pode ocorrer:

1.      por excesso de força;

2.      por movimentos repetitivos;

3.      por posições viciosas ou por variações anatómicas do tendão;

4.      quando geramos energia, libertamos calor. Nos exercícios, contraímos e alongamos os músculos, gerando energia. Quando nos excedemos nos exercícios, a libertação de calor pode atingir temperaturas que se podem aproximar dos 45 graus dentro do tendão, causando a morte e degeneração das células, dando origem ao processo inflamatório e, consequentemente, uma tendinite, que pode levar a um enfraquecimento gradativo no interior do tendão, culminando com sua ruptura completa;

5.      nos estágios iniciais apresenta os sintomas do processo Inflamatório, que obriga a interromper as actividades físicas.

Tendinites Comuns

As tendinites mais comuns no nosso meio são a do:

a)      manguito rotador (ombro);

b)      epicondilite (cotovelo), a tendinite dos extensores do punho, a tendinite patelar (joelho) e a tendinite do Aquiles (tornozelo).

Tratamento

  1. O tratamento geralmente consiste na diminuição da actividade física do local afectado ou mesmo imobilização. Deverá haver a aplicação indirecta de frio no local durante 30 minutos (bolsa de gelo ou toalhas frias).
  2.  Uso de anti-inflamatórios (conforme indicação médica.)
  3.  Em alguns casos, recorrer-se-á à intervenção cirúrgica.

No geral, os tendões sadios rompem na  extremidade presa ao osso. Isso ocorre devido à carga maior do que o conjunto tendão-osso pode suportar. Já o tendão com processo inflamatório, na maioria das vezes crónico, rompe-se no meio e não são necessários grandes esforços para isso ocorrer, bastando a subida um pouco mais íngreme de uma ladeira ou um arranque numa corrida.

Um Alerta

Uma tendinite com mais de 30 dias deverá ser investigada com mais rigor, pois o tendão poderá já estar com ruptura das fibras e necessitará de um tratamento diferente e especializado.

Nota: uma Terapêutica usual sobre vigilância médica é a seguinte:

1.   Rantudil retard cápsulas 60mg (Acemetacina) de 8 em 8 h;

2.      Relmus cápsulas 4mg (Tiocolquicosido) de 12 em 12 h;

3.      Voltaren Emulgel (diclofenoc dietalamónio 11,6 mg/g) de aplicação tópica 3 vezes ao dia.

Obs: no local da dor fazer acupunctura digital com movimentos de dispersão do ponto ( no sentido contrário aos ponteiros do relógio) três vezes por dia, com duração de 10 a 15 minutos. A magnetoterapia é uma boa opção para apressar a cura.

Procurar ajuda de um fisioterapeuta, na impossibilidade de ter ajuda especializada. Pegar no membro com as duas mãos e muito ligeiramente fazer movimentos de rotação, alternando o sentido e tendo o cuidado de não aplicar movimentos bruscos. este tratamento deve ser acompanhado pelo médico.