Benefícios para a saúde da Própolis

Composição química qualitativa  da própolis 

  • Resinas e bálsamos aromáticos
  • Ceras
  • Óleos essenciais
  • Grãos de Pólen
  • Minerais: alumínio, cálcio, estrôncio, ferro, magnésio, silício, titânio, bromo e zinco.
  • Vitaminas: pró-vitaminas A e todas do complexo B.
  • Flavonoides: ésteres cafeinados.

Função imune estimulante: estudos científicos apontam para a ação da própolis no fortalecimento do sistema imunológico, o facto de estimular as células imunológicas  torna a própolis um potente agente anti-infeccioso. Ela estimula a produção de imunoglobulinas importantes para pacientes com baixa resistência.

Ação antibacteriana: a própolis é um antibiótico natural, que destrói as bactérias patogénicas, preserva as benéficas, como é o caso das bactérias da flora intestinal.

As bactérias não criam resistência à própolis, como acontece com os antibióticos sintéticos.

Antiviral: poderosa no combate dos vírus do herpes , da gripe, e também previne o aparecimento de constipações, pneumonias, resfriados e doenças do aparelho respiratório.
Antifúngica: a sua ação é reconhecida no combate a fungos, como a Candida albicans, responsável por infecções vaginais, bocais e no sistema digestivo. A própolis também tem ação antimicótica, sobre alguns fungos e leveduras, principalmente micoses e comichões no corpo, fungos de unha e dermatite seborreica. Nestes casos, utiliza-se pomadas e extrato de própolis.

Regenera e cicatriza tecidos: os flavonoides e aminoácidos, considerados regeneradores dos tecidos, torna a própolis eficaz no tratamento de dermatites, feridas, úlceras e queimaduras. Sabe-se que a maioria das úlceras gástricas são causadas pelo bacilo Heliobacter pilori, que é altamente sensível à própolis. Isso justifica o seu emprego no tratamento de infecções gástricas.

Alívio de dores: sua função analgésica  faz da própolis um excelente suplemento no combate de amigdalite, dores de garganta, dor de dentes, e outras.

Indicações

  1. Em doenças inflamatórias superficiais, como estomatite, amigdalite, gengivite, piorreia alveolar e hemorróidas.
  2. No caso de estomatite e inflamações da garganta, o extrato alcoólico traz melhores resultados, uma vez que cria uma película protetora no local onde foi passado, também é indicada para evitar a fadiga, melhorar as ulcerações e inflamações e  diminuir os sintomas do reumatismo.
  3. Na diabetes e  hipertensão.
  4. Fortalecimento da ação imunológica  pela acção de linfócitos, estimulação do organismo enfraquecido, redução dos efeitos colaterais de quimioterapia e radioterapia.
  5. Prevenção e tratamento de pneumonia crónica e bronquite infantil.
  6. Tratamento de queimaduras graves e efeitos sobre doenças dermatológicas.

Contra-indicações: não exceder a dose diária recomendada de 60 gotas por dia.