Clamydias

Abril 15, 2018

Clamydias

São bactérias parasitas intracelulares obrigatórias que possuem um polimorfismo integrado num ciclo próprio. A sua natureza com bactérias ficou esclarecida com estudos de microscopia electrónica.

Tem natureza idêntica à das bactérias como:

  • Parede celular
  • Sofrem divisão binária e contém RNA e DNA

A única diferença é que exigem no seu desenvolvimento células vivas. Não há métodos de cultura fora de células vivas para estes microorganismos. È um parasita energético capaz de produzir ATP. Algumas Clamydias sintetizam ácido gálico e outras não e isso está na base de serem ou não sensível ás sulfamidas. Existem duas espécies morfologicamente idênticas e com igual ciclo de multiplicação:

  • Clamydia trachomatis
  • Clamydia psittaci
  • A observação de uma célula parasitada revela corpos de inclusão no citoplasma

Clamydia trachomatis É uma espécie que infecta o homem com excepção do biótipo rato. Produzem inclusões ovais e vacuolares e é sensível ás sulfamidas. Engloba três biótipos: biótipo tracoma

Agente do tracoma endémico e conjuntivites de inclusão, infecções genito-urinárias sexualmente transmissíveis e infecções dos recém-nascidos transmitidas durante o nascimento.

  1. Biótipo do linfogranuloma venéreo infecta o tecido linfático (doença de Nicholas Fabre)
  2. Biótipo rato agente da pneumonite intersticial do rato

Clamydia psittaci

  1. É essencialmente uma espécie que infecta aves exceptuando-se a estirpe Twar e é parasita do homem, as inclusões são de forma variável não é sensível ás sulfamidas, infecta o homem acidentalmente com a pneumonia atípica (psitacose)
  2. Diagnóstico

Exame directo: C. trachomatis o produto é o exsudado conjuntival ou as lágrimas. As lâminas são coradas com Leishman ou Giems e pesquisam-se inclusões basófilas de aspecto vacuolar e contornos nítidos

  • Não tem interesse na psitacose e granuloma V. Nos animais inoculação intervertebral no rato, a cultura faz-se no saco de gema de ovos fecundados com o saco vascularisado e a bactéria cresce nas células.
  • Usa-se a cultura feita em células Mc. Coy (células de origem humana)
  • Exame directo (DFA anticorpos fluorescentes) por imunoflorescência com o corante de isotiocianato de fluoresceina que floresce em luz ultravioleta de 550ª 640 nm, com microscópio de luz ultravioleta e condensador de campo escuro. A colheita é feita no exsudado uretral ou vaginal de células vivas. Os corpos elementares aparecem como pequenos cocos com fluorescência amarela-esverdeada que contrasta com o vermelho dos diferentes elementos. Este teste tem um bom grau de especificidade e sensibilidade.

Reacções serológicas

  1. RFC (fixação do complemento) que detecta anticorpos (Ac) dirigidos contra o antigenio (Ag) do grupo. O seu uso limita-se à psitacose e LGV, tem falta de sensibilidade nas infecções oculares e genito-urinarias.
  2. Provas alérgicas intradérmicas. Reacção de Frey para o linfogranuloma que pode ser positiva em indivíduos que sofreram de psitacose.
  3. ELISA (enzima linkede imunosorbente assay) e RIA (rádio- imune-ensaio)

Tratamento

Clamydia trachomatis

Tetraciclinas e sulfamidas

Clamydia psittaci

Tetraciclinas 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Projecto Omega © 2018