imagesFebre amarela     mosquito

O vírus da febre amarela é filtrável e ultramicroscópico, parasita obrigatório de células hospedeiras, é um Arbovírus dos quais  se  conhecem-se mais de 170 Arbovírus

A febre-amarela está confinada às florestas tropicais da África e América, onde o ciclo enzoótico (Epidemia dos animais limitada a um lugar ou região) inclui os macacos e os mosquitos das árvores, (Aedes aegipty e Haemagogus ) que picam os macacos. O homem contrai a infecção quando os macacos abandonam as florestas e provocam a infecção do mosquito doméstico.

Sintomas

  •  Necrose e degenerescência gorda do fígado.
  • Extensas hemorragias das vísceras.
  • Nefrose tóxica (intoxicação renal).
  • Mal-estar.
  • Vómitos
  • Dores de cabeça intensas.
  • Febre muito alta (no terceiro ao sexto dia de incubação).
  • Do segundo ao quarto dia os sintomas atenuam-se devido a intoxicação profunda e o ritmo do pulso baixa.
  • Pode-se observar uma lenta convalescença, mas o prognóstico é sempre grave.
  • O carácter da infeção humana pode variar, desde um  estado assintomático, até icterícia grave com hemorragia e morte.

O vírus é patogénico para todos os macacos da América do sul, mas em muitas espécies africanas produz virémia e febre  moderada. A maior parte das estirpes africanas conduzem à  morte do macaco por necrose aguda do fígado.

Patogenia

Depois  da picada do mosquito os vírus invadem os gânglios linfáticos  locais onde se multiplica só depois de 3 a 4 dias passa á corrente sanguínea, que o transporta ao fígado , baço, medula e rins , nos quais provoca fenómenos de necrose.

diagnóstico laboratorial 

  • Nos primeiros 5 dias isolamento do vírus no sangue.
  • Nos casos fatais  exames histológicos do fígado .
  • . A determinação laboratorial da PCR ( marcador inflamatório é indicada em variadas situações clínicas, tais como:  monitorização da reposta terapêutica à antibióticoterapia em infecções bacterianas. )
  • Severas medidas de combate ao mosquito
  1. Vacinação . “Considera-se prudente não vacinar as crianças com menos de um ano a não ser que corram grandes riscos  até aos seis meses” A imunidade estabelece-se  a partir do nono dia e mantém-se proteção durante 6  a 10 anos.
  2. Recomenda-se que a vacina seja administrada 4 dias no mínimo  ou 3 semanas  antes da vacina anti-variólica.

Tratamento médico 

  • Sintomático e paliativo. (A ribavirina é um anti-vírus de largo espectro oral e o fosfocarnete sódico parentérico, que têm efeito sinérgico com o interferom α, didadosina e fosfonoformato)
  • Transfusões de sangue  e diálise

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Projecto Omega © 2018