Respiração

 Veja a maneira como o doente respira:
  •  Se a intensidade é profunda ou superficial
  • Se os dois lados do tórax movem-se ao mesmo tempo
  • Na contagem do número de respirações por minuto, anote só o número de inspirações a entrada de ar para os pulmões e expirações a saída de ar dos pulmões.
  • No adulto a normalidade varia entre 12 a 20/ minuto. Na criança ate 30 e no bebé pode ir a 40.

Nota: dispneia dificuldade em respirar.

Apneia: paragem respiratória.

 Alterações

  • Na febre alta ou infecções dos pulmões, os doentes respiram mais rápido: mais de 40 respirações superficiais e curtas no adulto e mais de 60. Numa criança pode indicar pneumonia
  • Assobios ou  SIBILOS chamados gatinhos ao sair o ar dos pulmões pode indicar asma
  • O ronco ou gorgorejo num doente inconsciente pode ser que a língua, muco pus ou uma substância estranha, estejam a obstruir as vias respiratórias.
  • Veja quando inspira (aspira) se entre o angulo do pescoço e as costelas por trás da clavícula a pele está a ser chupada (existe dificuldade na passagem do ar ) a garganta pode estar obstruída, ou pode ser devido a pneumonia, bronquite ou asma.

Pulsação                     PULSO

Pulso tirado nas artérias radiais: coloque os dedos indicadores e médios sobre artéria radial, como se mostra na figura e conte o ritmo das batidas.

Se não consegue sentir o pulso radial, procure senti-lo no pescoço ao lado da traqueia, a rapidez e a regularidade das pulsações têm significado:

  • Pulsação fraca: anemia intensa, colapso cardiovascular e choque, fraqueza geral extrema, lesão das válvulas do coração, sincope.
  • Pulso desigual em ambas artérias radiais: aneurisma da aorta, compressão de uma das artérias subclávias
  • Pulso irregular (arritmia)
  • Pulso rápido (taquicardia)
  • Pulso lento (bradicardia)

Pulso normal em repouso

Adulto———— 60 a 80 /minuto

Criança———–80 a 100/minuto

Bebé————–100 a 140/ minuto

 

Olhos                         OLHOS

  • Pupilas contraídas
  • Por causas medicamentosas: opiáceos (ópio, morfina, heroina e outras substâncias)
  • Causas normais: muita luz, quando se olha de perto e durante o sono.
  • Por enfermidades: Fotofobia (sensibilidade à luz), hipermetropia, irite
  • Pupilas de contornos irregulares: diferença de refracção de ambos os olhos, inflamação das meninges, neurosífilis, traumatismo craniano, tumores e abcessos cerebrais.
  • Pupilas dilatadas:
  • Causas medicamentosas: adrenalina, atropina e cocaína
  • Por enfermidades:: asfixia, ataque epiléptico, comas tóxicos, glaucoma, miopia avançada, sincope, dor e fraqueza.
  • Uma diferença grande entre as pupilas: é uma emergência médica, quando a pessoa está inconsciente devido a traumatismo na cabeça. Pode ser uma lesão cerebral ou uma trombose.
                                   Localização dos pontos no abdómen da dor, para diversas infecções a apalpação 
                                     PONTOS DE DOR 
                                                 A figura indica os pontos numerados  e destacados no quadro
 1—se dói: pode ser úlcera duodenal,2-–úlcera gástrica,3—úlcera duodenal,4—inflamação da vesícula,5—infecção da cabeça do pâncreas e do canal biliar principal ou colédoco, 6—ponto de Mcburney,7—espinha ilíaca anterior e superior,entre 6 e 7 é o verdadeiro ponto de Macburney (fossa ilíaca direita onde se encontra o apêndice),8-8′–Infecções da trompa ou do ovário ,9—cólon descendente e alça sigmóide.

 

seccçoes abdominais     !) Hipocôndrio direito

2)  Hipocôndrio esquerdo  (b) Região Umbilical    3) Flanco direito 4)  Flanco esquerdo

   c)  Região hipogástrica  6) Fossai ilíaca direita 7) Fossa ilíaca esquerda

 

 

                                                        

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Projecto Omega © 2018